binomo corretora de opcoes binarias ok


 

As relações entre animais e seres humanos estão, cada vez mais, aprofundadas. Convivemos com cães e gatos domésticos, há pelo menos 500 mil anos. Porém, apenas agora, nos últimos 50, é que começos a ver eles de outra forma.

Eles e outros animais.

Como assim? É que antes, víamos os animais como seres distantes de nós, justamente elo fato de nós termos um sistema cognitivo avançado, e eles não.

Porém, cada vez mais, estamos entendendo que os animais, mesmo aqueles que aparentemente não mudam muito (como o caso das galinhas), com profundidade e complexidade. E empatia.

Logo, em se tratando de saúde animal hoje, não basta um simples veterinário. E nem sempre remédios são as melhores opções. Conheça 4 áreas que avançam, cada vez mais.

 

1.      Radioterapia veterinária

Animais começaram a viver mais. Alguns cachorros podem chegar aos 16 anos de idade, enquanto entre os gatos, já há aqueles com 15.

Um grande avanço na expectativa de vida, considerando que, há poucas décadas, o difícil era o animal doméstico chegar aos 12 anos de idade, com saúde.

Com o avanço da idade, avançam as doenças, incluindo aquela que é uma das mais letais e perniciosas: o câncer. Animais também podem ter canceres, dos mais diversos, e eles podem ser tão cureis e fatais quanto qualquer tumor humano.

Logo, a medicina veterinária tem avançado significativamente em estudos envolvendo um tratamento complexo, mas eficiente – a radioterapia.

Já há, nas grandes capitais do mundo, diversos centro médicos voltados exclusiva ou massivamente à radioterapia veterinária.

 

2.      Homeopatia

Animais também usam remédios, quando estão doentes. Há drogas para domésticos e de corte, incluindo substâncias “pesadas”, como antibióticos, relaxantes e similares.

E quem faz uso de um remédio sabe que alguns têm efeitos colaterais devastadores. Pensando nisso, diversos centros de pesquisa farmacológica veterinária começaram a apostar em medicamentos alternativos.

Sim, a homeopatia!

A homeopatia veterinária tem progredido muito, e apresentado resultados extremamente promissores. Como a homeopatia é uma ciência que parte do princípio de que a cura está no estímulo dos sintomas dela, no corpo, os remédios são bem mais suaves, para os animais.

 

3.      Psicologia veterinária

Encarar os problemas mentais e de comportamento animal, pela perspectiva da psicologia, é algo bastante novo, nos campos de estudo de veterinária. Primeiro, porque assume que animais também tem subjetividade complexa, um avanço em termos de equidade social.

Psicologia animal já existe desde o século 19, pelo menos, tenha vista os experimentos de Pavlov, desde os anos de 1870.

Porém, a psicologia aplicada ao tratamento de problemas veterinários é algo que começa a ser estudado com mais profundidade, agora.

 

4.      Epidemiologia veterinária

Humanos e animais trocam micróbios desde sempre. Porém, os desmatamentos de áreas selvagens têm contribuído para o surgimento de novas doenças e cepas de doenças conhecidas.

É o caso de animais sofrendo com doenças humanas (e vice-versa). Logo, a epidemiologia veterinária tem sido muito estudada.

Vacinas, remédios e tratamentos, para humanos e animais, são o foco.

Veja Também:

Está “bombando” na Internet:

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

binomo corretora de opcoes binarias ok