Um dos temas mais polêmicos, em se tratando de relação professor aluno é quanto a manifestação de opiniões e questões pessoais, na sala de aula.

Isso porque existe uma ideia, idealizada, de que o professor deve ser neutro em relação a assuntos polêmicos, como sexualidade e política. Em alguns casos, podemos entender que se trata de uma imposição de escolas particulares, com códigos de conduta bastante específicos.

E está tudo perfeitamente bem, quanto a isso, pois nossa democracia permite que situações dessa natureza aconteçam.

Entretanto, eu, particularmente, acredito que o professor nunca deve assumir uma posição (idealizada) de “neutralidade”.

Primeiro, porque não existe neutralidade. Segundo, porque algumas questões exigem um posicionamento.

Por exemplo, se um aluno reproduz comportamentos e discursos racistas: o professor deve ser conivente com discursos de ódio?

Claro que aqui estamos pensando em assumir posições, desde que isso não constitua em crime de intolerância, assédio, apologia, etc., e que ele o faça respeitando o direito individual de cada um.

Assim, por que que um professor deveria se posicionar explicitamente, na sala de aula?

 

1.      Criar vínculos entre os alunos

Quando o professor expressa sua opinião sobre algo, mais do que estar colocando um ponto de vista, ele está desfazendo a impessoalidade da função professor.

O aluno percebe que seu professor tem uma personalidade definida, ou seja, que ele nem sempre está de acordo com tudo que acontece no cotidiano da escola e do mundo, por exemplo.

Um professor que passa uma imagem de frieza e objetividade por, eventualmente, intimidar os alunos.

 

2.      Criar vínculos com a família

Da mesma forma que com os alunos, ao expressar sua personalidade, o professor cria vínculos com as famílias da escola.

Os pais sabem sobre o professor, têm afinidades e desgostos em comum, têm objetivos em comum… Isso facilita criar pontes, e superar desafios, na hora de ensinar os alunos.

Muitas vezes, o aluno indisciplinado recebe apoio ou condescendência dos pais, porque os professores, distantes e impessoais, passam um aspecto de arrogância e descaso. Conhecer o professor, seus ideais, sua metodologia, auxilia os responsáveis, na melhor maneira que lidar com a educação.

 

3.      Cria vínculos identitários com o aluno

Outro aspecto importante de se posicionar, enquanto professor, é a possibilidade de criar vínculos identitários com o aluno.

Ou seja, um professor se liga ao aluno por crenças em comum, podendo auxiliar, e mesmo defender, esse aluno, se ele sofre alguma represália por conta dessa crença.

Ele demonstra que o aluno não precisa ter medo ou vergonha, de ser daquela crença (religiosa, por exemplo), ou de ter aquela identidade.

 

4.      Desmistifica ideias obtusas

Por vezes os alunos falam ideias que não são muito boas, como incentivos a violência, autoritarismo, entre outros. Um professor que se posiciona contrário a essas falas está, ao mesmo tempo que enfrentando posições complicadas, educando seus alunos.

Ao se posicionar, o professor expõe ideias, debate questões relevantes, aponta erros de retórica, etc.

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original