Existem carreiras cujas atribuições são bem determinadas. Um médico, sem dúvida nenhuma, vai ter a função de exercer medicina – foi sua formação. Um engenheiro civil vai focar seu trabalho em construir prédios. Um advogado vai defender, ou acusar pessoas.

Nada de novo, até aí.

Porém, existem profissões que pessoas atribuem trabalhos e conhecimentos –, mas que na verdade estão longe da realidade diária dessa. Assim, a pessoa se forma em tal área, mas busca trabalhos (ou é exigida funções) que ela não sabe – e nem teria como saber.

Você sabe que áreas são essas? Conheça 4 delas.

 

1.      Se formar em Letras não te faz um tradutor

Se você tem um diploma de Letras, principalmente se ele for de dupla licenciatura ou bacharelado, isso não significa que você é um tradutor.

Você até pode trabalhar de tradutor. Mas não é porque você seja e sim, porque você (ou alguém), confia que você faz um bom trabalho, nesse sentido.

Isso porque, ser tradutor é bem mais do que simplesmente conhecer duas línguas à fundo. Você precisa saber pensar uma língua linguisticamente, isso é, pensar a língua a partir das diversas camadas de sentido e formas e recursos de passar a camada de sentido de uma língua para outra.

E isso, você aprende estudando… Tradução! Exatamente!

 

2.      Economistas não são o pessoal dos cálculos

Você estudou Economia? Perfeito! Não espere, entretanto, que você seja o responsável do seu setor por criar fórmulas, analisar probabilidades, calcular juros e afins.

Você, certamente, teve isso na sua faculdade. Mas não tanto quanto alguém que estudou Matemática, Física ou Engenharia. Então, se essas são suas atribuições: ou você é muito bom com matemáticas, ou, estudou matemáticas.

Muita gente estranha, mas a verdade é que no curso de Economia, seu foco serão as relações entre Sociedade, setores administrativos e finanças.

 

3.      Enfermeiros não são Médicos!

Muitos enfermeiros adoram dizer que entendem de medicina, mas não! Não mesmo. Medicina é uma faculdade complexa, com milhares de áreas de estudo e especificidades. Enfermaria é outra área do conhecimento, com outras milhares de especificidades, mas diferente de Medicina.

A Medicina e a Enfermaria se “trombam” em situações nas quais os médicos precisam aplicar a medicina, e os enfermeiros dão suporte com… Enfermaria.

Isso é, cuidado e monitorando o paciente, se atentando à sintomas e reações, cuidado da profilaxia e higiene, auxiliando com materiais operatórios e medicamentos.

Mas nunca exercendo a função do médico – diagnosticar e agir.

 

4.      Fisioterapeutas não são Personal Trainers

Existem duas faculdades: Fisioterapia e Educação Física. Quem faz a primeira não pode atuar com as mesmas coisas do que quem faz a segunda, e vice-e-versa.

A fisioterapia envolve conhecimentos de medicina e psicologia, coisa que, em educação física, praticamente, não há. Um fisioterapeuta é antes de tudo, alguém que aplicará um tratamento de saúde.

Já a educação física, essa envolve conhecimentos de fisiologia e corporeidade, mas bem menos de medicina. O fisioterapeuta, eventualmente, diagnostica problemas para o educador físico trabalhar.

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

Abrir Chat