A médica italiana Maria Montessori (1870-1952) revolucionou a forma de educar crianças em todo o mundo, com seu método que valoriza a autonomia dos alunos, e incentiva a criatividade.

Hoje há algumas escolas montessorianas em todo o mundo, e algumas delas são de elite, mas há princípios de seu método que podem ser aplicados em qualquer escola.

Claro que algumas atividades demandam um espaço físico maior e adaptado. Mas há fundamentos que podem ser utilizados em qualquer espaço, e trazem resultados surpreendentes, mesmo com alunos “difíceis”.

Você sabe quais são eles? Conheça aqui.

 

1.     Não diga não

Pode parecer meio difícil, mas a primeira dica é essa.

Ao invés de ficar limitando o movimento da criança, simplesmente mostre a técnica a ser desenvolvida, em seguida, permita que ela explore e faça, sozinha.

Isso serve para qualquer matéria, mesmo as mais abstratas.

Pois a técnica de Montessori visa o desenvolvimento da autonomia, então, mais importante do que ensinar uma técnica mecânica, é ensinar meios de a criança buscar seu conhecimento, sozinha.

Logo, uma comunicação cheia de ordens e limitadores não contribuí para esse desenvolvimento. Antes, vai limitar a criatividade e individuação dos jovens, algo nocivo para o desenvolvimento de saberes.

 

Ao invés de simplesmente falar o que a criança deve fazer, incentive a autonomia. Incentive-a a ir atrás de respostas, incentive pesquisas e buscas, incentive-a a aprender sozinha meios de solucionar problemas…

Seu papel, aqui, é do de dar apoio ao aluno. Quando ele comete um erro, não julgue, e quando ele tem um acerto, elogie.

Esses princípios visam encorajar a exploração do mundo, pelo aluno, e são essenciais para o desenvolvimento de uma personalidade segura e autônoma.

 

3.     Incentive a curiosidade da criança e incentive-a a questionar

Quando a criança se interessa pelo mundo em volta, e quando ela tem curiosidade sobre o que está aprendendo, o aprendizado acontece de forma mais fluída e natural.

Logo, permita que ela explore o ambiente, explore as possibilidades dos objetos, questione o uso e função das coisas, entre outros.

O método montessoriano preza pela por essa relação dialética e é essencial que ela esteja na base da metodologia de aulas que você for desenvolver.

 

4.     Cada criança tem um ritmo específico, que deve ser respeitado

Cada criança aprende em um ritmo próprio. Algumas vão desenvolver algumas potencialidades mais rápido do que outras. E isso é natural e normal.

Inclusive, é recomendável que essas diferenças aconteçam.

Logo, você precisa respeitar elas, e entender que o conhecimento de cada aluno acontece num tempo próprio.

Apenas dessa forma é possível uma aprendizagem com liberdade e autonomia.

 

5.     Aonde você entra? Observando e auxiliando, quando solicitado

O principal papel do professor, nesse caso, é dando orientações inicias e observando o desenvolvimento do aluno.

Não diga como ele deve fazer. E quando for solicitado, faça comentários pontuais, no sentido de auxiliar a descoberta individual.

 

Para saber mais

O principal livro de Montessori é Pedagogia Científica.

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original