binomo banner


 

Um dos grandes problemas dos últimos 5 anos são as fake News. Notícias falsas, em bom português.

Notícias falsas sempre existiram. Fossem boatos, contrainformação (em tempos de guerras e conflitos) ou simples sensacionalismo jornalístico, o ponto é: elas sempre estiveram lá.

O grande problema dos últimos anos é que as fake News, agora, vem sendo divulgadas por alguns jornais e sites de notícias, como sendo verdade.

Então, ao invés de transmitirmos conhecimentos e informações, espalhamos falsidades.

Assim, como podemos evitar de sermos enganados por fake News? O que fazer, quando desconfiarmos de uma notícia?

 

1.      Onde foi publicada?

A internet tem seu lado bom e o lado ruim. O lado bom é a possibilidade de termos informações de todo o planeta.

O lado ruim é a possibilidade de qualquer pessoa criar esse conteúdo, e divulgar ele.

Ou seja, qualquer um pode comprar um site, dar a esse site o nome de um jornal, e lá divulgar notícias falsas.

Logo, checar de onde vem a notícia é importantíssimo. Jornais e revistas tradicionais têm equipes enormes, que checam informações, antes de publicar elas.

Então, se o site publicado for desconhecido, desconfie.

 

2.      Qual é a assunto da notícia?

Notícias falsa têm um problema secundário: por serem falácias, normalmente, o conteúdo delas é propositalmente absurdo.

Certo político, que influenciou o planeta. Uma personalidade que faz práticas absurdas. Uma lei de conteúdo inconstitucional, que foi votada.

Fake News não lidam com a realidade concreta, mas com uma mentira uma invencionice. Isso é, são puras fantasias.

Isso acontece porque a ideia é chocar, causar indignação e raiva, ou uma comoção desmesurada.

Logo, se o conteúdo for algo muito estranho ou incomum, desconfie.

 

3.      Como o conteúdo está escrito?

Fake News são produzidas a fim de caluniar alguém, ou alguma instituição, ou produzidas para atribuir méritos inexistentes, a alguém, ou a alguma instituição.

Para tanto, o conteúdo delas é marcado por frases de efeito, termos agressivos, ironias e cinismo, e demais marcadores textuais que não são adequados ao formato de jornalismo tradicional.

Alguém pode argumentar que essa linguagem dura é a opinião do “jornalista”.

Porém, basta nos lembrarmos: se a notícia é falsa, não é “opinião” e sim, pura e simples calúnia (ou fantasia).

 

4.      Pesquise as informações apresentadas

Fake News costumam citar instituições e pessoas que não existem. Logo, se a notícia cita instituições pouco conhecidas, ou pessoas que não são famosas, pesquise quem são eles.

No caso de fake News de ciências, às vezes, a pessoa até existe, mas sequer é uma autoridade no assunto abordado.

Outro índice de fake News são as fotos. Eventualmente, as fotos são pessoas aleatórias, ou fotos de bancos de imagens. Se a imagem parecer uma montagem, provavelmente é porque ela é.

 

5.      Procure a mesma notícia em veículos tradicionais

Quando a notícia em questão envolver política internacional, celebridades, ou questões científicas, jornais e revistas tradicionais também vão publicar.

Muitos deles, inclusive, criaram diretórios de verificação de notícias falsas. Se informe sempre.

Veja Também:

Sucesso na Internet:

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original