O novo concurso Ministério da Economia, autorizado em 27 de agosto, pelo secretário especial de desburocratização, gestão e governo digital, Caio Mário Paes de Andrade, deve ter o nome da banca organizadora definida no decorrer das próximas semanas. Somente após este procedimento poderá ser confirmada a data de publicação do edital de abertura de inscrições. O prazo para início da seleção é de seis meses do aval, ou seja, até o final de fevereiro. Porém, a expectativa é de que seja iniciada bem antes deste limite. 

De qualquer forma, o concurso Ministério da Economia contará com uma oferta de 300 vagas, destinadas para os cargos de técnicos e analistas, para preenchimento em caráter temporário. Do total de oportunidades, 115 serão destinadas para quem possui ensino médio e 185 para nível superior. As remunerações iniciais ainda serão confirmadas.

As contratações serão para atuar na execução de atividades relativas à centralização dos serviços de inativos e pensionistas dos órgãos da administração pública federal direta, autárquica e fundacional e nos processos de compensação previdenciária entre regimes de previdência e atividades de natureza administrativa, no âmbito do Departamento de Centralização de Inativos, Pensionistas e Órgãos Extintos – DECIPEX do Ministério da Economia.

Todas as 145 vagas de nível médio serão destinadas ao cargo de técnico em atividades previdenciárias e de apoio -atividades técnicas.

Das 185 oportunidades de nível superior, 145 serão para analista técnico de demandas previdenciárias, judiciais e de controle – atividades técnicas de suporte e 40 para analista de negócios – atividades técnicas de complexidade intelectual

Concurso Ministério da Economia: saiba como foi a última seleção

O último concurso Ministério da Economia ocorreu no primeiro semestre deste ano e contou com uma oferta de 590 vagas, também para preenchimento em caráter temporário, com oportunidades de níveis médio técnico e superior. A banca, na ocasião, foi o Idib.

Do total de vagas em disputa, 100 foram imediatas e 490 para formação de cadastro reserva (CR). Temporárias, as carreiras tiveram lotação em Brasília.

A pasta disponibilizou postos de nível médio/técnico para profissionais com formação em administração, contabilidade ou informática (8 vagas + 52 CR — salário de R$ 1.700).

Graduados em administração, economia, contabilidade ou direito puderam disputar as funções para desempenho de atividades técnicas de complexidade intelectual (4 + 36 CR — R$ 6.130).

Já as opções para carreiras de atividades técnicas de suporte I (48 + 202 CR — R$ 3.800) e atividades técnicas de suporte II (40 + 200 CR — R$ 3.800) admitiram candidatos com curso superior em qualquer área.

concursosconcursos federaisconcursos 2022provas anteriores

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original