binomo banner


 

Empresários sabem que ter contato eficiente, direto e rápido com os clientes faz toda a diferença. Ainda mais, quando é uma empresa pequena e nova.

Você está concorrendo com as marcas tradicionais. Está galgando a duras penas seu lugar ao sol. Então, não dá pra ter erros. Ainda que você saiba: eles vão acontecer, afinal, a vida de uma empresa é assim.

Porém, errar, nesse caso, é um problema maior. Logo, empresários precisam pensar em formas de contornar esses problemas, antes mesmo que eles aconteçam.

Uma forma de fazer isso pode ser pela criação de um app da empresa.

Dessa forma, como deve ser esse app? O que precisa ser pensado, na hora de criar ele? Confira, aqui, algumas dicas e orientações.

 

1.      Entenda seu negócio

Fazer um app não é simplesmente criar um sistema para celulares. É preciso saber o que esse sistema vai fazer, e para que ele será útil.

Ninguém baixa um app sem motivo, e, depois de baixá-lo, ele precisa continuar tendo utilidade, caso o contrário, terá efeito negativo para a empresa. Isso é, associará sua empresa a lixo digital.

Então, primeiro, você precisa entender seu negócio: o que sua empresa faz? O que ela vende? Como um app pode auxiliar suas transações?

O app precisa ser útil, primeiramente.

 

2.      Contrate uma empresa confiável

Há diversas empresas de tecnologia, atualmente. Porém, poucas farão o app de uma forma eficiente, e, ainda, oferecerão suporte técnico após a criação desse.

Essas empresas, provavelmente, terão um custo um pouco maior, mas pelo menos você terá toda a segurança e auxílio, na hora de colocar seu app para operar.

Apps sem um funcionamento eficiente são uma péssima propaganda, para o seu negócio.

 

3.      Não crie interfaces desnecessária

Uma interface, nesse caso, é uma ação que seja possível executar no app, e que vai trazer efeitos para o usuário.

Um exemplo prático: a opção de escolha do tipo de carro em um app de transporte.

Uma interface desnecessária é uma ação que não auxilia muito o usuário. Seu app precisa ser simples de usar, e, por mais que não seja você o desenvolvedor, você é quem está passando o briefing.

Para evitar isso, contrate uma empresa de UX Research.

4.      Não dependa do app

A sua empresa não pode depender do app, salvo se ela fora uma empresa que só exista por causa dele, como é o caso das empresas de entrega de alimentos ou de transporte individual.

O app deve ser um facilitador do seu negócio. Uma forma de aproximar você do cliente, uma maneira de permitir que seu serviço aconteça de forma mais direta e simplificada.

Se você tem um negócio de contabilidade, por exemplo, seu app pode ser um assistente contábil virtual para os clientes. Porém, esse não pode ser o único modo de seu serviço funcionar.

Haverá clientes que vão preferir o atendimento tradicional; outros sequer vão querer usar o app. O mais importante é que exista várias opções.

Veja Também:

Sucesso na Internet:

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original