binomo banner


 

Todas as empresas têm sua cultura. E isso não se refere apenas ao país onde a empresa está, ou à religião do presidente.

A cultura da empresa é uma forma de falarmos da política da empresa, seja em relação aos colaboradores e clientes, seja em relação aos projetos que podem (e devem) ser propostos, bem como sobre o que pode ser feito, para que um objetivo seja atingido.

Vale dizer que a cultura da empresa não precisa ser, necessariamente, alinhada à cultura do país onde ela está, ou a gestão de negócios inovadora.

Por exemplo, há empresas de certos vieses religiosos que, em determinados dias da semana, não trabalham, e esse ponto é tão importante para a empresa que até mesmo o site dela fica fora do ar.

Entretanto, essa é um exemplo um pouco mais acentuado do que é a “cultura” de uma presa. A cultura empresarial pode ser algo mais sutil.

Entenda:

 

A cultura da empresa: a identidade da empresa

Definir a cultura da sua empresa é muito mais sobre a identidade laborial e administrativa dela.

É cada vez mais comum que falemos em uma “cultura organizacional”, ao invés de simplesmente falarmos de “cultura”, pois a ideia aqui é muito mais voltada à organização da empresa, do que os aspectos identitários dela.

A cultura de uma empresa de skates, por exemplo, é muito mais sobre como se estrutura o SAC, do que a respeito das roupas dos funcionários.

Claro que um dress code pode fazer parte da cultura de uma empresa. Porém, você precisa pensar: ele faz parte por quê?

Quando você for definir a cultura de sua empresa, há coisas mais importantes do que vestimentas, ideologias, ou hábitos pessoais.

 

Por que cultura importa: sua metodologia de trabalho

Quando você for definir a cultura de sua empresa, o ponto principal por de trás dessa ideia é a metodologia de trabalho que deve guiar colaboradores, tanto na organização interna, quanto no tratamento a clientes, por exemplo.

Algumas questões devem guiar você:

 

  1. Qual é a função social da empresa? Qual é sua missão? Quais são os seus valores?
  2. Qual é o grau de autonomia dos funcionários, em relação aos seus cargos e funções? Trata-se de uma gestão horizontal (todos têm direito à opinar sobre os projetos) ou vertical (respeitando a hierarquia administrativa dos gestores)?
  3. Qual é o perfil de funcionário da sua empresa? Você vai querer colaboradores dispostos a fazer horas extra? Vai querer equipes que trabalhem integradas, individualizadas ou mistas?
  4. Qual é a relação esperada dos funcionários? Eles são “colaboradores/parceiros” ou “empregados/subordinados”?

 

Essas questões são essenciais para você entender como você quererá construir sua empresa. Lembre que elas podem ser desenvolvidas, conforme a empresa se desenvolve (ou se condensa), e as flutuações do mercado podem ser decisivas, nesse ponto.

Porém, ter uma cultura empresarial definida é algo imprescindível, para a definição de uma metodologia de trabalho.

Apenas com essa cultura definida você crescerá.

Veja Também:

Sucesso na Internet:

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original