Uma das maiores preocupações no ano de 2021 têm sido a volta às atividades e serviços regulares, contudo, mantendo medidas de prevenção e higiene.

Isso porque muitos governos, estaduais e municipais, têm difundido a ideia de que logo será possível à retomada plena (ou seja, com frequência total).

Ideia bastante questionada, por algumas autoridades de saúde, embora apoiada por outras, o fato é: provavelmente terminaremos 2021, e começaremos 2022 com a retomada total dos serviços, aconteça o que acontecer.

“Aconteça o que que acontecer”, uma vez que a epidemia, com suas novas variantes, ainda preocupa e, mesmo com a vacinação avançando. Logo, seu fim depende de cuidados de higiene e saúde, nos espaços públicos e coletivos.

E isso incluí a escola, uma vez que muitos pais dependem dessa instituição acolher seus filhos, pois eles precisam trabalhar. Assim, a grande questão do momento é: como retomar uma escola com frequência total, mas mantendo as medidas de prevenção?

 

1.      Conscientize os alunos sobre as medidas de higiene

A primeira regra é difundir e divulgar as medidas de higiene. E mais do que isso, afinal, já sabemos sobre elas desde março de 2020.

É vital que as escolas façam campanhas de conscientização sanitária. Isso é, campanhas alertando sobre a necessidade de se manter algumas medidas, como distanciamento e higienização dos locais de uso coletivo.

Distribua álcool em gel, quando possível, e itens de higiene pessoal e proteção individual, como sabonetes e máscaras descartáveis.

Outra medida que precisa ser mantida é a ventilação correta das salas de aula, e desinfecção constante, dos espaços.

 

2.      Priorize atividades em espaços abertos

Embora quase todas as matérias escolas dependam de registros escritos, sempre que possível, priorize atividades em espaços externos.

Pátios, quadras, parques, entre outros são espaços de grande circulação de ar, e permitem que os alunos fiquem distantes uns dos outros.

Para tanto, o professor deve pensar em atividades práticas, principalmente naquelas que envolvem os estudantes explorarem seu entorno.

Outro recurso pedagógico a ser priorizado são avaliações orais, e aulas expositivas, que demandem poucas anotações.

 

3.      Divida as turmas em salas menores

Embora muitas das turmas tivessem começado o ano de 2020 com uma média de 30 alunos por sala, nesse momento, sendo possível dividir as salas em turmas menores, faça isso.

Muitas escolas não têm salas de aula que possibilitem o distanciamento social. Logo, os espaços da escola, evidentemente, teriam de ser adaptados – reaproveitando quadras, anfiteatros e eventuais salas de matérias específicas.

As mudanças podem parecer um pouco drásticas, nesse primeiro momento, mas elas são passageiras. Então, da mesma forma que o distanciamento iniciado em março de 2020, hoje, começa a ser abolido, essas mudanças também serão.

O mais importante, nesse momento, é priorizar a vida.

 

4.      Incentive a vacinação

A vacinação massiva é essencial para reduzir os números associados às internações.

Logo, criar campanhas de incentivo à vacinação e combatendo as fake news relacionadas a ela torna-se, também, tarefa da escola.

Veja Também:

Está “bombando” na Internet:

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original