Incluirmos Pessoas Com Deficiência (PCD), em um ambiente de trabalho, é cada vez mais comum. E extremamente proveitoso.

Primeiro, porque essas pessoas também têm direitos; um deles é o de trabalharem. Segundo, porque garantir o cumprimento de Direitos Civis é vital para uma sociedade mais justa e ética. Terceiro, porque múltiplas personalidades e potencialidades fazem uma equipe mais eficiente, em seu trabalho.

Logo, como incluir elas?

Antes, todavia, é necessário você entender o que é uma PCD.

Trata-se de alguém que tenha alguma deficiência, física, motora, sensorial ou mental, adquirida após o nascimento, ou no parto.

Essas deficiências podem ser surdez, cegueira, a ausência de algum membro, alguma limitação cognitiva, entre outros. Mas isso não excluí a pessoa do mercado de trabalho. Apenas exige alguns cuidados específicos.

 

1.      Adapte o ambiente físico da empresa

Idealmente, todas as empresas teriam ambientes físicos adaptados. Isso incluí rampas de acesso, sinalização visual e sonora, placas com escritos em braile e alto-relevo, entre outros.

Sabemos, contudo, que não é isso o que acontece. Porém, se a sua empresa tiver funcionários PCD, adotar essas adaptações é essencial; os empregadores precisam criar um ambiente de trabalho adequado para os seus funcionários. Inclusive em termos de mobilidade e segurança.

 

2.      Tenha uma equipe treinada

Treinar sua equipe é obrigatório, a fim de se evitar situações constrangedoras, ou mesmo criminosas – afinal, adotar atitudes de preconceito é crime.

Algumas deficiências exigem uma forma de comunicação interpessoal diferente (por exemplo, no caso de funcionários autistas.

Além disso, alguns gestos, como o interesse em ajudar pessoas cegas ou com mobilidade, quando não feito de forma correta, vira uma dificuldade a mais para a pessoa.

Outro ponto é que algumas deficiências, eventualmente, exigem respostas rápidas. Por exemplo, no caso de uma pessoa com deficiência mental, que reaja de forma brusca, a certos comportamentos, ou no caso de uma pessoa que sofra de esquizofrenia.

 

3.      Adapte as funções e cargos

Não são todos os empregos que servem para todas as pessoas. Aqui estamos pensando em pessoas que não tenham deficiência, também. Não são todas as pessoas que se adaptam, por exemplo, ao trabalho com máquinas, tenham elas deficiências ou não.

Dessa forma, não adianta você querer incluir pessoas cegas, se, por exemplo, o cargo envolva dirigir máquinas ou operar ferramentas.

Assim, tenha em sua empresa cargos que sejam adaptáveis. Por exemplo, pessoas cegas conseguem ler documentos em braile, ou utilizando programas de leitura de texto. Pessoas com deficiências mentais consegue ocupar cargos dos mais variados.

Há diversos tipos e níveis de deficiências, mas quase sempre, eles não são impedimento para algumas tarefas.

 

4.      Ofereça treinamentos

Não adianta nada sua empresa contratar uma Pessoa Com Deficiência, se essa pessoa não for treinada para executar a tarefa em questão.

Lembrando que o treinamento inicial, dependendo do cargo, também vale para pessoas sem deficiência.

Mais do que isso, ela precisa ser incentivada a continuar sua formação (como todos os demais funcionários), e assim, trabalhar da melhor forma possível.

 

Veja Também:

Está “bombando” na Internet:

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original