Um dos ramos de atuação mais complexos que há é: Shakespeare? O Teatro Experimental do Pós-II Guerra? A ópera de Pequim? Talvez; todos esses gêneros são bastante difíceis. Entretanto, aquele que é realmente complicado é a comédia.

Isso se deve por diversos fatores. O primeiro, e principal, é que fazer alguém rir não é tão fácil, quanto os shows de TV procuram demonstrar.

O riso é uma complexa combinação de fatores culturais, físicos e psicológicos, e dominar ele é algo para poucos. Temos centenas (milhares?) de piadistas, atores cômicos, comediantes de Stand-Up e demais personalidades dedicadas a fazer alguém rir.

Porém, poucos são marcantes. Poucos vão sobreviver ao crivo do tempo. O que queremos dizer com isso? Que a comédia que marca as pessoas de verdade vai muito além de piadas ofensivas e tapas na cara.

Grandes comediantes (e aqui só falaremos deles) extrapolam o riso fácil e óbvio, o riso que, uma vez causado, dificilmente surge de novo. O caso de piadinhas com sogras, portugueses e “Joãozinho” por exemplo.

Atores como Chaplin, Grande Otelo, José Vasconcellos ou os recentes Fabio Porchat e Amy Schumer utilizam-se de recursos que produzem um humor profundamente original e marcante, extremamente trabalhosos de se produzir.

A boa notícia, porém, é: você consegue aprender isso. Assim, o que estudar para ser um grande comediante?

 

1.     Leia textos dos mais variados gêneros

Ler é um dos melhores hábitos para quem quer trabalhar com a dita comédia autoral – isso é, para quem quer escrever textos de humor, ou escrever e encenar o próprio texto de humor.

Quando você lê, você ativa áreas do cérebro como raciocínio e memória, essenciais para produzir textos criativos, originais e marcantes. Por exemplo, as piadas de Jô Soares, cheias de referências culturais e sociais.

Além disso, você desenvolve um repertório, que fará seu humor ser para além do cômico fácil.

 

2.     Estude drama e atuação

Para ser um grande comediante, você precisa ser, primeiro, um grande ator. Dominar técnicas de atuação das mais variadas. Saber posicionar seu corpo em cena. Entender a dinâmica do palco. Saber como fazer pausas corretas e como impor e modular a voz.

Chico Anysio era um ator de mil e uma vozes e rostos. Mas essencialmente, era um ator. Ele sabia, inclusive, atuar dramaticamente. Já Robin Williams costumava fazer filmes de comédia, porém, com cenas de circunspecção e até tristeza.

Para ser um comediante bom, você precisa saber desenvolver personagens. E isso se aprende em aulas de drama.

 

3.     Estude assuntos transversais aos seus temas

Não basta saber falar piadas. Ser um comediante, mesmo que seja um de humor de situação, como Jerry Seinfield, exige uma compreensão dos contextos sociais, políticos e econômicos de seu tempo.

Ary Toledo, por exemplo, costuma citar os tratados do filósofo Henry Bergson, quando vai abordar suas técnicas de humor. Wanda Skies é uma comediante que traz diversas leituras e discussões sobre o racismo estrutural norte-americano.

Fazer rir passa, necessariamente, pela compreensão, estudo e análise de seu tempo.

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original