Após comentar ontem (14) que o aumento do valor médio do Bolsa Família era “prioridade zero”, o ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu que o acréscimo de benefício será necessário, embora o reajuste deve ser pensado de uma forma “modesta e moderada”. A declaração foi realizada hoje (15) durante um evento promovido pelo Movimento Pessoas à Frente. 

Guedes destacou que o aumento do Bolsa Família deverá ficar na faixa dos R$ 300, e não acima de R$ 600 ou R$ 700, “como querem fazer”. Ele justifica que o reajuste muito grande poderia ser encarado como uma medida populista, mas que os ímpetos eleitorais já interferiram no orçamento do governo e terminaram mal. “Não queremos que isso se repita”, afirmou. 

O ministro defendeu o limite do teto de gastos, porém ele comenta que  “devemos à população brasileira” um programa social “um pouco mais robusto”.

Atualmente, o Bolsa Família tem valor médio na casa dos R$ 200. O governo federal estuda alternativas e manobras para encaixar um aumento robusto do programa social. Além disso, para celebrar esta evolução do benefício, ele teria o seu nome rebatizado para Auxílio Brasil. 

Uma das alternativas especulada seria o parcelamento no pagamento de precatórios – com um valor orçado de R$ 89,1 bilhões. Os precatórios são dívidas do governo decorrentes de sentenças judiciais já julgadas. Inclusive, membros do governo já estão debatendo com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) a metodologia para o Executivo pagar as dívidas sem comprometer o teto de gastos. 

Guedes pede compreensão dos poderes para aumentar Bolsa Família

Ainda durante o evento, Guedes pediu “compreensão” e “socorro” a integrantes do Legislativo e Judiciário para encontrar uma solução para os precatórios, o que destravaria o reajuste no Bolsa Família. Fux e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), também participaram do mesmo evento em que o ministro da Economia falou.

O ministro da Economia também tocou em outros assuntos e voltou a defender o “desinvestimento” estatal em setores nos quais a iniciativa privada tem melhor desempenho, a fusão de ministérios e a reforma administrativa ora em tramitação no Congresso.

*com informações da Agência Brasil

+++Acompanhe as principais informações dos benefícios sociais no JC Concursos

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original