binomo banner


 

Profissões que lidam com fórmulas, elementos e matemática avançada, a Química e a Farmácia são quase irmãs (e elas, por sua vez, são “primas” da Bioquímica).

Em ambos os casos, há o estudo de elementos químicos, a manipulação de matérias-básicas e os estudos de fórmulas fisioquímicas. Em ambos os cursos, há a proposta de pesquisas de substâncias e produtos que serão utilizados em nossa sociedade.

Porém, há alguns pontos de divergência entre elas, de forma que, um Químico não é um Farmacêutico – e vice e versa.

Somando-se à conta, temos ainda os cursos de Bioquímica e Engenharia Química. Entretanto, sabendo a diferença entre as duas áreas citadas acima, já dá pra ter um panorama dos cursos.

Confira:

 

Química: a criação de instrumentos para a vida em sociedade

O curso de Química envolve, possivelmente, as questões mais antigas e urgentes da humanidade: manipular os elementos da natureza, a fim de criar instrumentos e ferramentas que auxiliassem na sobrevivência.

Ou seja, a geração do fogo, pelos humanos pré-históricos, era um trabalho de Química! A criação de ferramentas, como lanças e flechas, em alguma proporção, também.

A criação de tintas para pinturas rupestres era Química pura, sem dúvida alguma.

Assim, fica evidente que a essência do curso de Química é isso: o estudo de fórmulas, compostos, elementos e processos que envolvem a manipulação de matérias-primas, na criação de substâncias e demais tecnologias.

Logo, um químico é alguém com uma imensa possibilidade de atuação. Todas as indústrias empregam-nos.

Eventualmente, esse químico será um Engenheiro Químico, ou seja, alguém que conhece os procedimentos da química, e usa-nos para solucionar problemas – por exemplo, como congelar um alimento, sem que ele perca suas qualidades nutricionais.

Mas a essência do curso é essa, trabalhar com materiais e compostos.

Além disso, apenas a licenciatura em Química possibilita a carreira de professor escolar.

 

Farmácia: a química a serviço da medicina

A Farmácia, por sua vez, trata de um dos problemas mais antigos da sociedade: a manutenção da saúde humana.

Porém, diferente da Medicina, no curso de Farmácia, estuda-se menos anatomia e fisiologia. O foco aqui é na ação de substâncias e compostos, em organismos.

Tanto é que, até os anos de 1920, grande parte dos cursos de Farmácia eram cursos de “Farmácia e Bioquímica”. Porém, enquanto a Bioquímica foca na biologia em geral (seres humanos e demais organismos), a Farmácia é voltada para a saúde humana.

Dessa maneira, um farmacêutico será aquele profissional que estuda doenças e problemas de saúde, e substâncias e compostos capazes de reagir a eles.

E claro, estuda fórmulas para produtos estéticos, como maquiagens e loções capilares. Basta nos lembrarmos: a farmácia cosmética movimenta bilhões de dólares, todos os anos.

Logo, o farmacêutico que optar pela indústria vai pensar e procurar soluções em saúde.

Para além dos grandes laboratórios, seu trabalho pode ser em análise laboratorial, perícias forenses, farmácia hospitalar, dentre outras.

E claro, pode trabalhar em uma drogaria ou em uma farmácia de manipulação.

 

Veja Também:

Sucesso na Internet:

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original