Quem tem uma empresa sabe, uma das partes que exigem maior cuidado na administração é na contábil. Isso porque ela envolve aquilo que, verdadeiramente é o principal de qualquer empresa – o dinheiro.

Se a sua empresa tem valores humanistas, ótimo. Mas sem estar em dia com a Receita Federal, ela não sobrevive. Sem crédito nos bancos, ela não passa por crises. Sem um fundo de caixa para pagar os colaboradores, ela não progride.

Ou seja, queira ou não queira, o dinheiro é a alma de uma empresa. Por isso, controlar ele é vital. Ter um setor de contabilidade de confiança, trabalhando pela empresa é vital.

Porém, você não deve se entregar a eles cegamente, pois os rumos da empresa, a entrada e saída de caixa, os investimentos – isso depende dos administradores (provavelmente, você que está lendo esse artigo, agora).

Logo, entender de contabilidade – um mínimo, para não cair na malha-fina da Receita – é essencial. E o básico de ciências contábeis passa, necessariamente, pela Escrita Fiscal (conheça nosso curso, aqui).

E o que é Escrita Fiscal?

 

Direito Tributário: saiba o que você deve pagar e porque

A pior situação para uma empresa é ser processado por inadimplência. Seja ela inadimplência à receita, seja por inadimplência aos colaboradores, criar dívidas e não as honrar suja, e muito, a imagem da empresa.

Mas isso não significa que você deve fazer qualquer pagamento, sem questionar. Há leis de Direito Tributário que criam e definem cenários. Entender esses cenários depende de você.

Por isso, ter os termos legais definidos na sua escrita fiscal é um passo muito importante. Você precisa lidar com as contas com legalismo e justeza.

 

Conhecendo impostos: saiba quais pagar e porque

Um dos grandes imbróglios da escrita fiscal é a relação de impostos a serem pagos. Isso porque, temos taxas das mais variadas naturezas de serviço.

Logo, se você tem uma empresa MEI, são impostos, de um tipo. Se sua empresa é micro, mas com mais de 2 funcionários, são impostos de outro. Se o seu nicho for roupas é um tipo, se for alimentos é outro.

Ou seja: há muitos impostos diferentes e específicos.

Conhecer sua empresa, e saber elencar as taxações específicas dela é essencial. E isso passa por saber discriminar eles na declaração de Imposto de Renda.

 

Controlar o fluxo de caixa

O principal objetivo de uma escrita fiscal é você ter o controle do fluxo de caixa da sua empresa. Num primeiro momento a relação de entradas e saídas pode parecer algo simples.

Contudo, há variáveis e variantes que podem fazer com que nenhum mês seja igual ao outro.

Principalmente se o seu negócio for em alimentação, considerando que há produtos que são sazonais e/ou sujeitos a alta (ou baixa) no mercado.

Por exemplo, se uma safra de certa fruta se perdeu completamente, o preço dessa aumenta – com isso, seu fluxo de caixa muda.

Assim, saber escrever financeiramente os movimentos de sua empresa é fundamental para sua sobrevivência.

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original