amazon livros 1280


Quando falamos em Estudos Culturais, e mais especificamente, em estudos africanos, um dos termos mais comuns de se encontrar é: “Povos iorubanos”, muitas vezes, também grafado como “povos nagô-iorubas”.

Esse termo aparece, também quando vamos estudar a diáspora do continente africano, e em particular, nos estudos sobre escravizados no Brasil.

Mas quem são os “Iorubanos”? Ainda existem pessoas dessa etnia hoje? Qual a influência dela, para a cultura afrodescendente contemporânea?

 

Iorubanos não são (só) os nigerianos

Um equívoco muito comum, quando vamos falar sobre povos iorubanos, é associar a etnia à Nigéria, um dos maiores países do continente africano. A verdade é que os iorubanos ocupam uma parcela considerável da Nigéria – um sexto da população.

Mas a etnia e seus descendentes podem ser identificados em todo o continente africano, em maior ou menor número, com predominância na costa oeste, em países do dito “Golfo da Guiné” como a Nigéria, Benim, Gana, e as Guinés.

Além disso, não existe um povo ioruba, mas diversas etnias como elementos culturais semelhantes.

Entretanto, é de se considerar que parte do equívoco se deve, também, ao fato da língua, o Ioruba, ser uma da mais faladas na Nigéria e em países ao redor dela.

Porém, os iorubanos ainda têm raízes na história do continente: o império de Oyó.

 

Oyó: a Potência política e econômica da África seiscentista

A cidade de Oyó – também grafada como Oyó – foi a capital de um império que se situou, principalmente, na região onde hoje é o Benim, mas se estendeu até o sudoeste da Nigéria, com grande força política e cultural.

O conhecido Império de Oyó foi, por excelência, a maior nação Ioruba.

Suas raízes remontavam há mais de seis mil anos antes de Cristo, mas seu ápice se deu a partir da década de 1650, aumentando nos cinquenta anos seguintes. Quando as tropas de Oyó derrotaram as tropas do reino de Daomé (atual Benim), nas primeiras décadas de 1700, a nação monopolizou o trânsito comercial da região.

Sua influencia era percebida por, praticamente, toda a região do Golfo da Guiné, e foi apenas nos anos de 1800, em confrontos com etnias mulçumanas, que o Império caiu.

Hoje, a maior parte dos iorubanos é islamita ou católica, e os países contam com línguas europeias entre as oficiais, principalmente o Inglês e o Francês.

 

Iorubas para além de África

Os povos iorubanos são uma das maiores etnias de África. Mas não é apenas lá que eles fizeram sua história. A herança ioruba nas Américas é percebida em diversos países, incluindo o Brasil.

Aqui, talvez a maior parte das pessoas associe os iorubas ao candomblé, que traz muitos elementos da cultura nagô-ioruba. Contudo, a influência dos iorubanos, no Brasil e nas Américas, vai muito além da religião.

Todos os países do Caribe e da América Latina tiveram influencias iorubas em suas línguas, culinárias e formações culturais, principalmente na música.

Além disso, algumas práticas cotidianas, como a organização doméstica e transmissão de saberes vêm da construção social iorubana.

Veja Também:

Está “bombando” na Internet:

Fonte: Acesse Aqui o Link da Matéria Original

amazon computadores 1920